Gente que indica

Coleção Contaí de e-books infantojuvenis estimulam relação saudável com o dinheiro

DMCard é uma instituição financeira que vive fortemente em seu dia a dia os valores e propósito da empresa. Um deles é o incentivo de uma relação saudável com o dinheiro entre seus clientes, objetivo que acaba de ganhar uma novidade – Coleção Contaí. Serão ao todo seis e-books infantojuvenis gratuitos, que inserem nessa iniciativa crianças de 8 a 11 anos. O primeiro deles, “Di.Ca Diário do Cauã – Parte 1: O Concurso”, já está no ar com download disponível pelo site www.colecaocontai.com.br.

A campanha foi criada em parceria com a 2112Lab e todos os seis livros escritos por Stefânia Andrade e ilustrados por Ana Baccaro.

“A educação financeira desde cedo faz toda a diferença para que no futuro, já líderes de família, estas pessoas adotem o orçamento familiar e uma relação com o dinheiro mais saudável, tendo uma melhor qualidade de vida. Um maior controle sobre seus hábitos de consumo permite planejamentos para a realização de sonhos da vida adulta como, por exemplo, a compra de uma casa própria, a chegada dos filhos, uma viagem, etc. E aprender isso na infância pode ser muito divertido, com a busca pela realização de pequenos sonhos como os de Cauã”. explica Sandra Castello, Diretora de Marketing e Pessoas da DMCard.

A executiva ainda destaca que os indivíduos são fundamentais em qualquer decisão da DMCard. “Nós somos uma empresa que tem sempre o foco nas pessoas em primeiro lugar, sejam nossos clientes, colaboradores ou a comunidade em que estamos inseridos”.

Sinopse “Di.Ca do Cauã – Parte 1: O Concurso” 

Na trama, Cauã é um menino de 12 anos, como tantos outros. Na escola, vai bem em algumas matérias (nem tanto em outras!), gosta de futebol, skate e chocolate. Mas o que ele quer mesmo é um celular ‘bom’, daqueles em que é possível assistir a séries e jogar on-line sem travar. Mas seus pais já avisaram: trocar de aparelho agora, nem pensar!

Até que surge uma oportunidade imperdível: um concurso municipal com o tema Educação Financeira. O prêmio? Um celular de última geração. Pronto! Agora Cauã só precisa criar o melhor projeto sobre o assunto da cidade! O problema é que ele nem imagina por onde começar. Planejar? Organizar? Poupar?

A escritora Stefânia Andrade destaca que sempre teve a cultura de educação financeira em sua vida, seja com seus pais, marido ou alunos. Segundo ela, refletir sobre consumo, organizar as contas, traçar planos e economizar são ações recorrentes que deveriam fazer parte do cotidiano de todos. “Hoje as pessoas estão vivendo por muito mais tempo e por isso é necessário planejar para se sustentar por alguns anos a mais do que fizeram nossos antepassados. As crianças de hoje são os adultos de amanhã e precisam da nossa ajuda para começar a planejar um futuro melhor, para elas e para o planeta”, disse a escritora.

Todas as ilustrações foram feitas pela designer Ana Baccaro, que fez questão de lembrar que os personagens criados são tipicamente brasileiros por suas características de esforço, batalha e alegria. “É uma família do Brasil, animada e unida. É muito bom criar um rosto para personagens com essas características”, explica. 

Sobre a Coleção Contaí

A Coleção levará às crianças o tema, de forma leve e descontraída, por meio do DI.CA, o Diário do Cauã. Nele, o protagonista escreverá sobre seu percurso em busca de um celular. Ele participará com os amigos de um concurso de educação financeira e terá que descobrir como ensinar o tema às crianças pequenas. Cauã vai pesquisar e aprender muito sobre educação financeira por meio de temas como consumo, minimalismo, mesada, empreendedorismo e muito mais. Os livros serão lançados gradualmente, todos poderão ler gratuitamente on-line e se os professores quiserem, utilizados em sala de aula.

Como surgiu o projeto?

A Coleção Contaí nasceu a partir de um desejo de tornar a educação financeira acessível. “Nosso objetivo é que esse conhecimento chegue ao maior número de pessoas – crianças, pais e mestres – e que possa permitir que aqueles que serão adultos amanhã, saibam lidar melhor com o dinheiro, façam boas escolhas, sobretudo, de forma consciente. E a DMCard, sempre envolvida em projetos sociais, abraçou a ideia”, conta Bruno Pimenta, diretor executivo da 2112Lab, gestora de projetos que tem como foco, principalmente, ações de cunho social.

Para a Diretora de Conteúdo da 2112 Lab, Paula Maria Prado, apesar dos livros serem voltados para crianças de 8 a 11 anos, eles podem ser lidos por todos que se interessam pelo assunto. “É importante que a coleção seja vista, sim, como uma obra infanto-juvenil, mas também como ferramenta de apoio pedagógico, para ajudar o estudante a entender de forma lúdica, conceitos importantes para a sua formação”, conclui.

Sobre o Autor:

Do site:



No Comments

Leave a Reply