Gente que compartilha, Histórias que Emocionam

Relato de parto do Filipe – Por Pri Cutrim

Relato de parto do Filipe – Por Pri Cutrim

Sempre sonhei em ser mãe, essa é minha verdadeira vocação. Tremia só de imaginar que não poderia realizar esse sonho, mesmo sabendo que nunca tive nada.

Eu já namorava há 7 anos quando tive a grata e assustadora surpresa que estava grávida. Fiz o teste de farmácia sozinha no banheiro do shopping (hahahhaha), sai de la com cara de quem num sabia o que fazer, rindo ate pra pluminha que caia do céu. Sorria de alegria, em nenhum momento me desesperei, era um sonho que se realizava e apesar de não ser esperado muito bem vindo seria. Fui pra faculdade fazer alguns atendimentos do estagio (curso psicologia, tranquei pra ficar com o baby e já vou voltar) e logo depois pra casa do namorado contar a novidade, choramos, rimos e amamos.

Antes de contar para todo mundo fomos nos certificar que tudo estava certo. No outro dia fiz um exame de sangue e já marquei uma ultrassonagrafia para ver se estava tudo certo la dentro, então contamos para a família que recebeu a noticia da melhor forma possível.

Não faltei uma so consulta do pré natal, esperava cada segundo para fazer um novo ultrassom e ver meu bebe, minha gestação foi muito tranqüila, não enjoei, não tive desejos…nada, sabia que estava grávida por que coisas aconteciam dentro de mim. Enquanto o bebe crescia eu me informava sobre tudo desse novo universo. Sempre tive plena certeza que teria parto humanizado, queria em casa e na água, mas a neurose do meu marido não permitia, ele morria de medo de acontecer algo. Quanto mais eu lia mais certeza tinha de que seria humanizado. Fiz todo meu pré natal no posto de saúde próximo a minha casa, adorei tudo, fiz cursos la mesmo e também no hospital onde teria o baby, um hospital humanizado. No curso eles ensinaram tudo, mostraram o hospital e eu ficava cada dia mais tranqüila quanto a hora de parir.

Todo mundo torcia para que fosse uma menina e apesar deu querer muito tinha, la no fundo, a certeza de que seria um menino. E assim foi… La vem o Filipe…

Casei com quase 8 meses de gestação, entrei na igreja de salto 15, linda e bela (hahahahahah), parei de trabalhar e fiquei so esperando o Filipe chegar.

De acordo com os cálculos médicos o Lipe nasceria dia 7 de janeiro de 2013, mas para mim não virava o ano. Dito e feito, dia 27 de dezembro de 2012 as 17:30 estava esperando para fazer o ultimo ultrassom para levar na consulta no outro dia e comecei a sentir leves cólicas, nada demais. Essas cólicas foram ate as 2:30 da manha. Como não tinha nada arrumando (siiiiiim deixei tudo para ultima hora) aproveitei que não conseguia dormir e fui arrumar as malas. Aquelas não eram contrações preparatórias para o nascimento, era como cólicas de quando a menstruação vai descer bem levinhas, mas eu tinha certeza que estava chegando à hora.

As 5:30 da manha do dia 28 de dezembro de 2012 começa então as dores mais maravilhosas que já senti em toda minha vida. Levantei, tomei um banho e me arrumei para consulta. Minha sogra foi comigo, pois meu marido ia trabalhar, ate então não havia falado nada pra ninguém que estava com contrações. Quando cheguei ao posto de saúde falei para minha sogra e liguei para minha mãe avisando das dores, no fim das contas foram as duas na consulta comigo. A enfermeira me explicou como proceder quanto ao tempo e a hora de ir para o hospital, mas também deixou claro que poderia ser um falso trabalho de parto, mas eu sabia que não era.

Eu já estava monitorando as contrações desde o começo e assim continuei. Fui em casa terminar de arrumar as malas, coloquei no carro, fui na feira comprar algumas coisas e depois pra casa da minha mãe almoçar e esperar. So avisei meu marido do que estava acontecendo por volta de 13:30 hrs e disse que se eu precisasse ir para o hospital antes dele chegar do trabalho eu ligava.  Meu cabelo é enrolado e faço progressiva há anos, com 9 meses de gestação imaginam como estava a raiz??!! Tipo Maria Betania (hahahahhahha). Então tive a brilhante idéia de ir para o salão de beleza fazer unhas e escovar o cabelo, SIIIM escovei o cabelo para ter parto normal (a locaaaaa). Eu ria pras paredes, ninguém acreditava que eu estava em trabalho de parto, quando viam as contrações eu pedia pra todo mundo parar e respirava umas 1000 vezes, essa altura do campeonato eram 15:30 hrs e eu estava com contrações a cada 10 min. Por recomendações medicas não podemos comer demais enquanto esperamos, então almocei uma sopinha e fiz pequenos lanches, o que me matou por que eu como feito um boi, minha vontade mesmo era comer um X-tudo maaaaaas…

Meu marido chegou do trabalho, me pegou e fomos para a casa da mãe dele, resolvemos dormir por la, se é que seria possível. As 21:30 minhas contrações passaram a ser a cada 5 mim, AIIII o bicho pegou!!! A cada 5 min contrações de 40 segundos meu Deus que dor era aquela, mas mesmo assim eu tava megamente feliz e continuava rindo pra tuuuuudo. Bati uma pratada de minguau de Maisena, afinal não podia comer nada pesado (kkkkkkk), e por volta de 23:00 hrs tentei dormir.

Eu sabia que so seria internada com 5 cm de dilatação, por isso tinha que monitorar as contrações em intervalo e intensidade. As 2 hrs da matina acordei meu marido, as contrações estavam muuuuuuuito fortes, fomos para o hospital e estava com 2 cm de dilatação. MEEEUUU DEUS!!!! Mais no mínimo 2 hrs para voltar, fui pra casa, tentei dormi (NÃO DÁ), cedinho tomei um banho, tomei café da manha e laaaaaá vamos nós para o hospital de volta, fui com meu marido e meus sogros com minha mãe foram logo em seguida. Enfim internei, eu e meu marido. So para situar já era dia 29 de dezembro de 2012. Começa então a saga final, é gente a saga por que ainda faltam algumas horas. Nesse momento eu já estava há mais de 24 hrs em trabalho de parto.

O HMIB (Hospital Materno Infantil de Brasília) tem toda estrutura para o parto humanizado, materiais para exercícios, pessoas super atenciosas, banheiros com água quente para banhos, enfim uma estrutura bem bacana. E eu usei tudo (uahuiahiuahuiah). Para ajudar na dilatação eu caminhei uns 5000 km, fiz exercícios para uns 4 anos e o coitado do meu marido junto comigo fazendo massagem o tempo todo, não adianta nada fisicamente mas pro psicológico ahhhh para ele é ótimo HAHAHAHAHA. Na verdade eu estava muito cansada então não consegui ajudar muito o Filipe abrir o caminho. Tava fraca e com muito sono, la não pode nem beber água enquanto o baby não nasce, como meu parto demorou muito tomei uns golinhos meio escondido. Para vocês terem uma idéia eu cochilava entre uma contração e outra, meu marido que me acordava e tentava me manter acordada.

Na sala de espera estavam todos morrendo de angustia, não tinha muito como passar noticias a não ser por uma alma caridosa que trabalhava la como faxineira e ia contando como estavam as coisas, adorei ela me deu muita força. Ela chegava la e me falava: Força mãezinha la fora tem uns avos quase morrendo por que esse bebe não nasce. Morria de rir dela.

Por tempo médio de dilatação era para ele nascer as 13:00 hrs, mas como já disse eu não tinha forças para ajudar em nada. As 15 hrs tomei um banho quentinho de uma meia hora, despertei e resolvi que tinha q ser naquela hora. Pedi para enfermeira (la o parto é feito, geralmente, por enfermeira obstetra) romper minha bolsa, aiii f*** o resto, as contrações não paravam mais e eu comecei a fazer a maior força que eu conseguia e elas vinham do alem ou de alguns gritos, eles foram necessários. Queria muito ter o baby de cócoras, pois é a melhor posição para o bebe nascer de parto normal, mas infelizmente eu não conseguia. Deitei e la vamos nós, o Filipe coroou, a enfermeira chamou meu marido para ver, ele nem queria (acho que ele tava assustado com meus gritos) foi la viu e voltou para me ajudar a fazer força, num sei quem fazia mais eu ou ele, me ajudava também a não fazer força de forma errada se não seria em vão. RECOMENDO A TOOOODAS LEVAREM ACOMPANHANTE E DE PREFERENCIA MARIDO, ajuda muito.

Quando eu pensava que estava tudo ótimo chega a obstetra e fala que tava demorando demais (ok eu já sabia), colocou ocitocina no soro, ate então eu tava só no soro para não desmaiar nehh (hahaha), e disse que ia me ajudar, me mandou fazer a maior força que eu conseguisse e deu 3 pulos em cima da minha barriga com todo seu peso, aqueles pulos de tirar o pé do chão. E la vem o Filipe… todo sujo, em cima da minha barriga, que sensação MA-RA-VI-LHO-SA. Maior emoção da vida, indescritível, sorrir, única coisa que eu sabia fazer… Levaram ele para pesar, limpar… Quando ele retorno mamou, que emoção, e entao ficou no colo do papai por 2 hrs enquanto enfim a mamãe aqui dormia um pouquinho.

Nossa nunca senti uma emoção tão grande, uma coisa indescritível, no total foram 34 hrs de trabalho de parto as melhores da minha vida. Quero mais alguns babys se possível todos normais, quanto a dor ela passa assim que a emoção toma conta de você, eu não esqueci a dor mas o que vem depois, aaaaaah isso supera tudo!!! E que venha a Luiza, o Rafael, o Arthur, a Sofia…Que venham quantos Deus me der.

Sobre o Autor:

Do site:



1 Comment

  • Reply Maíra at

    Que fofa essa mãe! Adorei o relato, estou com 5 meses e tbm vou ter meu bebê no HMIB. Já tive um de parto normal, mas foram só 6 horas de parto e com anestesia…Espero ter a força dessa mãe do relato.

  • Leave a Reply