Gente que compartilha, Histórias que Emocionam

Relato de parto do Caleb

Relato de parto do Caleb por Josie Oliveira que escreve nos blog Glacê com Pimenta Baby, Casar é bom e Glacê com Pimenta

Meu nome é Josie, tenho 28 anos, sou casada há 5 anos. Jornalista e Consultora de Moda. Natural de Belo Horizonte, atualmente moro na cidade de Mariana, em Minas Gerais.

Como tudo começou

Eu e meu esposo nos conhecemos na igreja, fazíamos parte da mesma turma de amigos. O tempo foi passando e cada vez mais fomos nos aproximando, até que um dia, ele resolveu se declarar e dizer que não queria ser apenas um amigo, que  gostaria de namorar comigo, pois , já  gostava muito de mim. Eu que era muito novinha e boba na época, dei um fora nele. Ele ficou super magoado mas, foi insistente me pediu para namorar mais umas duas vezes e mesmo assim eu dei mais outros dois fora. A questão é que além de ser muito nova, eu nunca tinha namorado para valer,  tinha medo de namorar com ele e o relacionamento não desse certo iria estragar a amizade. Eu estava confusa em relação aos meus sentimentos, dizia que não gostava dele mas, morria de ciúmes quando o via conversando ou saindo com outra garota. Foi então que percebi o quanto eu gostava dele e o queria na minha vida. Depois que eu também me declarei para ele, começamos a namorar. Com apenas 2 anos de namoro, ele  me fez uma surpresa inesquecível. Fazíamos aniversário de namoro, no dia dos namorados, fomos sair para jantar para comemorar essas datas  , e acabei voltando noiva! Ele me pediu em casamento, foi tudo lindo, perfeito, eu chorei horrores. Em julho de 2009 nos casamos, foi um dos dias mais perfeitos da minha vida.

O tempo passou…

Eu queria tanto ser mãe, que desde o início do casamento  sentia vontade de engravidar. O que ocorreu apenas três anos depois. Vou contar como foi …

Quando casei  minha vida mudou radicalmente. Mudei para outra cidade, longe da minha família. Sempre fui apegada á família, sofri bastante e o tempo de adaptação foi um tanto sofrido.

Nosso filho foi planejado com muito amor e carinho. Eu e meu esposo sentimos que era a hora de termos um filho, conversamos e foi então que procurei minha ginecologista para fazer tudo certinho. Parei de tomar a pílula em outubro , em novembro já estava grávida mas não sabia. Eu estava em uma fase estressante da minha vida, fazia faculdade, estava finalizando meu curso na  Universidade Federal,  tinha que me dedicar praticamente o dia todo, estudava de tarde e á noite. Era final de semestre,  tinha que entregar vários trabalhos, fazer provas, por isso nem percebi que meu príncipe já estava dentro de mim. Uma semana antes do natal, um belo dia fui tomar banho , quando liguei o chuveiro e a água escorreu pelos meus seios, senti uma dorzinha bem chata, o bico dos meus seios estavam bem sensíveis. Foi neste dia que fiquei me olhando no espelho e percebi que minha barriga tinha uma saliência, minha pele que sempre foi normal, estava muito oleosa. Apavorada e feliz ao mesmo tempo , liguei correndo para minha amiga que é enfermeira , descrevi meus sintomas, ela disse que  com certeza eu estava grávida. Super ansiosa  sai correndo , fui na farmácia comprar um teste de gravidez, minha amiga farmacêutica também dona da farmácia disse que pelos sintomas eu estava grávida. Ela  queria que eu fizesse o exame ali mesmo na hora. Fiquei com medo da minha reação caso o resultado desse negativo e preferi fazer o exame em casa e sozinha. Quando fiz o exame, fiquei cheia de expectativas , quando saiu o resultado foi minha frustração, Negativo! Eu não estava acreditando nisso, chorei horrores sentada no chão do banheiro, foi quando meu esposo chegou do trabalho e me viu naquele estado, ele tentou me acalmar, disse que a minha vontade de ser mãe era tão grande, que eu poderia estar grávida psicologicamente rsrsrsrs.

Contei para as minhas amigas que o resultado tinha dado negativo, elas não acreditaram e me sugeriram fazer um exame de sangue. Passei o natal com a minha família, tentando esquecer a frustração, estava sentido muita azia,  pensei que fosse de alguma comida  que tivesse digerido.Dias depois do natal, resolvi então, fazer o exame de sangue. Foram o dias mais ansiosos da minha vida, o resultado do exame só ficaria pronto em 3 dias, para o meu desespero. No dia de pegar o resultado,  liguei várias vezes para o laboratório para saber se estava pronto,  eles só me diziam que no final do dia. Nisso eu já tinha comido todas as minhas unhas. As únicas pessoas que estavam sabendo de tudo isso eram  duas amigas e uma prima muito querida. Eu não quis contar para meus pais, preferia contar depois que tivesse a certeza. Acessei o site do laboratório para ver se o resultado tinha saído, e para a minha aflição sim , tinha saído mas, eu não entendia nada o que estava escrito. Rsrsrsrs! Liguei correndo para o laboratório, o funcionário acessou meu exame e informou que eu estava grávida. Eu gritei demais no telefone, ri, chorei, fiz tudo ao mesmo tempo. Meu esposo saiu correndo da cozinha sem entender nada. E eu feliz da vida disse a ele que eu sentia que estava grávida!  O funcionário do laboratório morrendo de rir das minhas loucuras, me aconselhou a fazer um ultrassom para ter mais certeza ainda. Quando o ginecologista informou e afirmou que eu estava grávida de quase 2 meses, não contive a emoção e chorei novamente, até meu esposo chorou! Agora sim eu estava com a melhor certeza do mundo, estava grávida ,o que tanto sonhei durante todos esses anos estava realmente acontecendo… eu seria mãe!

Era um momento tão mágico e feliz,  eu queria sair contando para todo mundo. Não queria dar a notícia para meus pais pelo telefone, queria fazer algo especial. Quando fomos para Belo Horizonte onde eles moram, eu e meu esposo chamamos meus pais na sala, e demos a eles meu ultrassom, foi então que falamos que estávamos grávidos, foi emoção pura, eu a minha mãe choramos, somos muito choronas! rsrsrs. Dias antes de  ir para Belo Horizonte, visitar meus pais, minha mãe tinha me ligado perguntando se estava tudo bem, eu segurando a vontade de contar a novidade, falei que estava sim tudo bem, ela que me conhece muito bem, ainda perguntou novamente tem certeza de que esta tudo bem? Rsrsrs, coisas de mães!

O início da minha gravidez foi um pouco agitada, em janeiro e fevereiro viajamos muito. Primeiro fomos com os meus pais para a cidade de Gramado no Rio Grande do Sul,e em fevereiro fomos visitar meus sogros , que na época moravam em Portugal, ficamos 26 dias viajando por vários lugares (Suíça, Paris, Milão, Veneza, Roma e Portugal). Foram dias maravilhosos! Graças a Deus não passei mal, apenas  tive enjoos somente por duas  semanas. Minha preocupação na viagem era com a minha alimentação, quando viajamos é muito difícil comer alimentos saudáveis e sempre na hora certeza. Isso me deixou bastante tensa, saber que eu estava no início da gestação, e nessa correria toda como ficaria minha alimentação. Mas  tentei  me alimentar de  2 em 2 horas, comprava frutas, evitava alimentos gordurosos,frituras, mas na Itália foi difícil evitar as massas. Rsrsrs!

De volta das viagens, tentei manter uma rotina mais tranquila, comer certinho, fazia aulas de hidroginástica. Demoramos um pouquinho para saber o sexo do bebê, fui descobrir com 5 meses de gestação, toda vez que íamos fazer o ultrassom, ele estava com as perninhas cruzadas. E então descobrimos que seria um príncipe, meu príncipe Caleb.

Adorava pesquisar, comprava livros sobre o assunto. Sempre quis ter o parto normal. Em minhas primeiras consultas com o obstetra  já  manifestava o desejo de ter parto normal. E por sorte  meus dois obstetras eram super á favor do parto normal!

Medo do parto é lógico que eu tinha, no final da gestação então, eu pensava como seria esse parto, se iria sentir muitas dores.

Mas nem tudo é como esperamos. Eu tive 2 obstetras, um na cidade onde moro atualmente oDr. Vicente, e outra em Belo Horizonte, onde meu filho iria nascer Dra. Fabianna Lanna. Quando  estava com 29ª semanas de gestação, andando pelo centro da cidade de Mariana,   a procura de enfeites para o chá de bebê que seria em Belo Horizonte, comecei a sentir dores muito fortes abaixo da barriga e enquanto dirigia,  suava demais. Fui correndo no meu médico, o Dr. Vicente  que sempre  foi muito calmo e atencioso, para uma consulta e quando ele  me examinou  percebi que o seu semblante estava um tanto sério o seu semblante sério ! Logo imaginei que algo tinha acontecido. Ele me informou que eu estava em trabalho de parto prematuro e que teria que ir ás pressas para a casa dos meus pais em Belo Horizonte,  para ficar de repouso absoluto até o meu bebê nascer. Fiquei apavorada, no mesmo dia , fui para Belo Horizonte, meu esposo tentando me acalmar dizendo que era melhor irmos também na minha outra obstetra, para que pudéssemos confirmar o diagnóstico do Dr. Vicente. Cheguei em Belo Horizonte numa quinta-feira e só consegui marcar com a minha médica no sábado pela manhã, dia que seria o meu chá de bebê. Eu estava muito chateada e abalada com a situação, você tenta se cuidar , fazer tudo certinho para que nada aconteça com o seu filho e de repente vem uma surpresa dessa. Minha preocupação era ele nascer prematuro, ter que ficar meses internado ou até o pior.

Fui consultar com a Dra Fabianna, na esperança de que ela falasse o contrário, mas ela simplesmente confirmou e disse exatamente o mesmo que o Dr. Vicente, ela inclusive nem queria me liberar para o meu próprio chá de bebê, pois não poderia fazer muitos movimentos, ficar andando de lá pra cá, o ideal era que eu ficasse de repouso o dia todo. Participei do meu chá bem tensa,  com muitas dores, eram as contrações e o medo do Caleb nascer antes que  me atormentava todos os dias.

Foram dias bem difíceis, eu longe do meu esposo, só via ele nos finais de semana pois, ele trabalha em Mariana,  eu estava na casa dos meus pais em Belo Horizonte. Não consegui montar todo o quartinho do Caleb pois, estava longe de casa. Eu sentia contrações todos os dias, tomava remédios para ajudar a segurar o bebê,  também tive que tomar duas injeções para amadurecer os pulmões do Caleb caso ele nascesse antes do tempo.

Deus é e foi tão bom, que consegui segurar o Caleb até a 36ª semana de gestação. Eu tinha consultas com a minha obstetra toda semana. No final de semana antes do parto  Caleb já estava prontinho para nascer, já tinha descido , estava encaixado,  foi o final de semana mais longo que eu tive… Minhas malas já estavam prontas!  De madrugada quando as dores apertavam eu chamava meu esposo desesperada, achando que era a hora de ir para o hospital.

No dia 01/08/2012, quarta-feira, fui consultar com a minha médica,  quando ela começou a me examinar já foi dizendo que eu estava em trabalho de parto , que ela já tinha até sentindo a cabeça do Caleb, eu já estava com 5 cm de dilatação. Imediatamente ela já me mandou ir para o hospital, para me internar, e ainda brincou dizendo: Hoje o Caleb chega! Fomos correndo para a casa dos meus pais buscar minha mala e do Caleb, eu e minha mãe mais uma vez choramos muito, ela estava indo trabalhar toda preocupada, eu preocupada com tudo, como seria o parto, se o Caleb ia nascer bem, minha cabeça estava a mil.

Para o meu desespero quando fui na consulta pela manhã, estava com pouco apetite e comi somente metade de um pão , uma xícara de café com leite. Demoramos mais que o esperado, a médica estava atrasada. Quando chegamos no hospital eu estava faminta, tudo que eu queria era um prato de comida e um belo suco. Rsrsrs! Mas eu não podia comer mais nada, minha barriga estava roncando e com contrações tudo ao mesmo tempo, uma loucura!

Para piorar eu chego no hospital com dores, e ainda tenho que esperar na recepção toda aquela burocracia de papéis para internação. Quando minha médica chegou,  fiquei mais tranquila , logo ela deu uma dura no pessoal, mandando eles arrumarem logo um quarto para mim, porque eu estava em trabalho de parto. Até que conseguimos, fiquei lá sentada na maca, com soro e dores. Minha médica além de muito competente é também bem moderna, ela não queria me ver sofrendo, morrendo de dor. Depois de algumas horas no soro, ela deu um jeito de chamar o anestesista o que foi um alívio para mim. Dra Fabianna não saiu de perto de mim, em nenhum momento ela e meu esposo me davam as mãos, me faziam carinhos, me passando coragem e força. E para a minha surpresa, logo depois  minha amiga de infância que é enfermeira, que falei dela no início do texto, apareceu  também para me dar uma força, ela conseguiu conversar com a equipe do hospital e eles  a deixaram entrar e ficar comigo.  Quase na hora do nascimento de caleb , eu que até então, estava calma, batendo papo, e logo em seguida  comecei a gritar de dor, comecei a chamar as enfermeiras,  estava apavorada e sozinha nessa hora. Meu esposo e minha médica tinham saído e foram na recepção conversar com meus pais e meus sogros para dizer como eu estava. Estavam todos preocupados e ansiosos. As enfermeiras, mandavam eu me acalmar, que a sala de parto estava sendo preparada. Nessa hora dava vontade de xingar um palavrão, você lá parindo, morrendo de dor, e elas te pedindo calma, ainda preparando a sala. Mas por fim, fui pra sala de parto gritando de dor, chorando de medo, susto tudo que vocês possam imaginar. Chegando lá,  eu já tinha feito tanta força antes, que achava que nem tinha mais, só Deus mesmo para nos ajudar,o anestesista e meu esposo estavam lá segurando minha mão. Minha médica dizendo para eu fazer uma força bem grande que ele iria nascer,  fiz a primeira e nada, na segunda tirei força nem sei de onde, foi quando eu escutei o choro mais lindo da minha vida. Meu amorzinho tinha chegado ao mundo! Foi só emoção, eu chorava demais, meu esposo tadinho, que estava tirando as fotos, ficou tão emocionado que a maioria das fotos saíram tremidas, rsrsrs.

A equipe pediu a nossa permissão para que nossos familiares participassem desse momento mágico, e então abriram as cortinas para que eles vissem pela primeira vez o Caleb. Foi uma emoção, todos emocionados, minha mãe chorando, os olhos do meu pai brilhando. Minha sogra tirando fotos, Foi lindo!

Infelizmente assim que o Caleb nasceu, fiquei pouco tempo com ele, por ele ter nascido um pouco antes do tempo, afinal, o parto dele estava previsto para o dia 28 de agosto e ele nasceu no dia 01, adiantou praticamente um mês. E para a nossa surpresa, quando a pediatra foi pesa-lo viu que ele tinha nascido com baixo peso, o Caleb nasceu as 19:15 hs, com 2.200g e 45 cm, ele era muito pequenino e magrinho. Pode acontecer esses erros no ultrassom. Os últimos ultras que  realizei, constavam que o Caleb pesava 2.800g. Devido a isso, eu segurei ele mais um pouquinho e logo em seguida a pediatra teve que leva-lo para a UTI Neonatal, para examina-lo com mais precisão. Eu fiquei super apreensiva, sem saber o que estava realmente acontecendo. Depois que a médica finalizou meu parto,   fui para uma sala de observação, fiquei lá por uma hora. Nossa eu fiquei tensa demais! Estava doida para ver o meu filho, não pude amamenta-lo logo que nasceu, por causa do baixo peso.

Depois que a eterna uma hora de observação passou, fui para o quarto, onde estavam meus pais e meu irmão, meus sogros e minha cunhada. Eu ainda estava meio zonza com tudo,  toda hora  perguntava pelo Caleb. Mal fui entrando no quarto e a minha sogra veio me dizer que a minha médica disse que o Caleb precisaria ficar por mais de 8 horas na incubadora em observação, nossa eu desmoronei. Tudo que eu mais queria era vê-lo. Todos foram embora pois já estava bem tarde, meu esposo foi até a casa do meus pais buscar roupas e meu pai ficou lá comigo, eu estava tristonha, não tinha o meu presente comigo. Até que o telefone do quarto tocou, pedi meu pai para atender , era a pediatra dizendo que o Caleb estava descendo para o quarto. Fiquei emocionada e ansiosa. Quando a pediatra entrou no quarto, empurrando o bercinho, meu Deus, eu não acreditava no que estava vendo, o ser mais puro e lindo, não acreditava que estava ali de frente para o amor da minha vida, com a pessoinha que sempre sonhei. Eu e meu pai ficamos ali babando no Caleb, até meu esposo chegar. A pediatra me tranquilizou dizendo que o Caleb, não precisou ficar as 8 horas na incubadora pois estava bem, respirando normalmente, o único problema era seu baixo peso. Por causa disso, tiveram que dar mamadeira para ele. Tanto que ele dormiu como um anjinho a noite toda . Então pude  descansar!

No dia seguinte, fiquei um pouco estressada, estava sentindo um pouco de dor por causa dos pontos mas, já andava pelos corredores, tomava banho sozinha e cuidava do meu filho. Fiquei estressada, porque meu leite não queria descer, e a pior coisa é você ter que escutar comentários desagradáveis e desnecessários de pessoas inconvenientes, dizendo que você não vai ter leite. Por causa do baixo peso do Caleb, tivemos que ficar no hospital por mais 3 dias pois, os médicos queriam observa-lo. Dava um frio na barriga toda vez que entrava um pediatra diferente no quarto para examinar meu filho, todo dia ele teve que tomar agulhada para fazer exame de sangue, eu chorava demais. A maior frustração era quando os médicos diziam que ele não teria alta. Graças a Deus os 3 dias se passaram, o Caleb teve alta, saiu do hospital com o peso mais baixo ainda com 2,010g, todo bebê perde peso no início, quando esta fazendo força para mamar, esta aprendendo a sugar.

Fomos para casa felizes da vida, com meu príncipe nos braços. Acredito que meu leite não tinha descido por tensão e nervosismo. No dia seguinte  voltamos do hospital, meu leite tinha descido, e  por um bom tempo tive muito leite.

A primeira semana foi bem complicada, eu ainda sentia uma dorzinha onde levei os pontos, para urinar e evacuar doía bastante. Os pontos cicatrizaram super bem.

Apesar das fortes contrações e da dor que senti quando o Caleb estava nascendo, eu faria tudo novamente. Sou muito grata a Deus e a minha médica por ter me proporcionado um parto tranquilo, sem traumas para mim e para o meu filho. Sou sim e sempre serei a favor do parto normal. A recuperação é bem melhor, no dia seguinte, você já é  capaz para cuidar do seu filho.

Agradecimentos

Agradeço a Deus primeiramente, pelo   melhor presente que eu poderia ter em toda a minha vida, meu príncipe Caleb. Sem Deus nada disso seria possível, obrigada por tua fidelidade Senhor, por ter me dado essa dádiva de gerar um filho.

Agradeço também aos meus médicos, que foram anjos e amigos. Dr. Vicente que cuidou de mim em Mariana, obrigada pelos conselhos e ajuda. A minha querida amiga Dra Fabianna Lanna, que também cuidou de tudo para que eu tivesse um parto normal tranquilo. Obrigada por trazer ao mundo meu príncipe Caleb.

Quero agradecer meu esposo pelo amor, carinho , apoio que me deu em todos os momentos, por ter ficado ao meu lado tentando me acalmar. Aos meus pais pelo amor e por me ajudarem sempre.A toda equipe médica do Hospital Materdei, que foram muito legais comigo e com o Caleb.

O Caleb é o nosso anjo, o amor de nossas vidas. Ter você meu filho é o melhor presente que Deus poderia ter nos dado. Você me completa , me faz muito feliz amorzinho.

81

Sobre o Autor:

Do site:



1 Comment

  • Reply Grazielle at

    Que linda história, me emocionei lendo….também espero meu príncipe…meu presente de DEUS, meu milagre.

  • Leave a Reply