Filhos, Gente que esclarece, Gestação, Parto e Amamentação

Maternidade idealizada x Maternidade real

A Aline Fardin estreia hoje no time Gente que colabora. Aline é mãe e psicóloga e vai estar conosco todo mês falando dessas duas grandes paixões! Em seu primeiro artigo, uma reflexão sobre a maternidade idealizada x maternidade real.

Junto com o sonho da maternidade vem um sonho de uma maternidade onde só existe a felicidade e a realização!
Antes do bebê nascer, nós já imaginamos o que ele vai vestir, que vai mamar no peito exclusivamente como é recomendado, que logo vai dormir a noite toda no quarto dele,  que não vai ser uma criança que chora muito e que não estranha as pessoas. Será uma criança obediente, não vai fazer birra. Já imaginamos qual será a primeira viagem em família.

Poderia continuar aqui falando, falando e nunca teria fim a lista de qualidades do nosso tão sonhado filho.
Aí, de repente, o bebê nasce e você descobre que a amamentação não é assim tão simples, que dormir duas horas seguidas é um sonho e ficar sem dormir mexe muito mais com você do que você poderia imaginar. O bebê chora sem parar! Sim até três meses eles costumam chorar bastante!

Aos poucos aquela maternidade idealizada desaparece e dá espaço para a maternidade real. A maioria das coisas que você sonhou ou planejou simplesmente não acontecem e de repente bate um medo, um desespero e você pensa: Meu Deus o que eu fiz com minha vida?

Fique tranquila você está entre muitas mamães que se deparam com uma maternidade bem diferente daquela colorida que você sempre ouviu falar! Talvez por culpa ou vergonha muitas mamães não admitem as dificuldades de se ter um recém-nascido em casa e então você acha que só você se sente assim!

O medo, a angústia e as dúvidas aparecem junto com um turbilhão de emoções, sentimentos e claro a queda brusca de hormônios!

Você pode ter vontade de chorar, gritar, sair correndo atrás daquela vida que você tinha…

Aos poucos as coisas vão se ajeitando, você vai conhecendo melhor seu bebê seu choro e a rotina começa a se estabelecer.

O amor pelo seu bebê só vai aumentando e você percebe que todo o caos que sua vida se transformou vale a pena, pois um sorriso dele faz você se apaixonar mais.

Um bebê tão pequeno muda sua vida de cabeça para baixo, o seu tempo é para ele e sua vida social ficará um tempinho parada.

A rotina é tão intensa e cansativa que quando você percebe, já está preparando a festinha de um ano dele! Aí você, separando as fotos para a retrospectiva, chora de saudade daquele bebezinho que agora já não é tão dependente de você.

O amor vem em uma proporção tão grande quanto as mudanças na sua vida.
Essa é a maternidade real e é depois dela que muitas coisas na nossa vida começa a fazer sentido!
Até parece coisa de louco e deve ser mesmo!

E a gente é tão louca que mesmo depois de ter passado por tudo isso sonha em dar um irmãozinho para nosso filho!

Aline Fardin Cabral, mãe do Guilherme, casada com Marcelo, graduada em Psicologia pela UniPaulistana. Sócia fundadora do projeto Nosso Bem Maior, que é um projeto direcionado para pais encontrarem um caminho de apoio e serviços relacionados ao universo da maternidade/paternidade, desde o desejo da concepção até a educação de seus filhos.   (www.nossobemmaior.com.br / facebook.com/nossobemmaior)

 

Sobre o Autor:

Do site:



No Comments

Leave a Reply