Gente que esclarece, Maternagem

Mãe maravilha

Hoje além da pressão que nós, mulheres, sofremos para nos superarmos em todas as áreas da vida, seja para nos destacarmos no mercado de trabalho em meio aos homens, ou para seguir um padrão social de beleza – impossível para a grande maioria, diga-se de passagem -, ou para sabermos cozinhar e cuidar da casa como ninguém, ou para sermos boas parcerias para nossos cônjuges, etc. No campo da criação dos filhos ainda temos de seguir padrões estabelecidos e somos constantemente cobradas para realizar um ideal de cuidado e educação das crianças que, em meio à rotina atribulada, é muito difícil de alcançar, o que causa muita angústia e frustração.

É exigido das mães que elas ofereçam somente alimentos saudáveis, naturais e frescos para os filhos, que tenham um super autocontrole para nunca perder a paciência, que estejam sempre bem dispostas para proporcionar momentos de lazer de qualidade para as crianças, que estimulem constantemente o aprendizado e o desenvolvimento dos filhos em cada brincadeira e em cada parte do dia, e que se dediquem inteiramente ao filho, ainda que tenham de trabalhar. Isso é possível? É justo cobrar tanto das mães?

A própria mulher já se cobra, já se culpa e já se preocupa em fazer o melhor por seu filho e por sua família, esse tipo de pressão social que exige perfeição em todos os cuidados com a criança não traz nenhum tipo de benefício. Afinal, qual é a mãe maravilha que consegue ser sempre ótima em todos os aspectos? A culpa que nasce na mãe junto com seu filho sempre estará lá e ficar tentando alcançar o ideal impossível da perfeição só traz angústia.

Com a internet, essa exigência pelo ‘bonito, feliz e perfeito’ parece estar mais forte. As pessoas exibem seus momentos de felicidade, suas conquistas, e seus sucessos e escondem os fracassos, o que pode deixar, para quem as acompanha nas redes sociais, a impressão de que, de fato, elas conseguiram alcançar a perfeição e junto com essa impressão vem o sentimento de fracasso e incapacidade.

Não existe mãe maravilha. O que se pode fazer é o melhor possível de acordo com sua rotina e sua família. A criança sente o cuidado e a preocupação da mãe em fazer o melhor, e isso basta para que ela se sinta amada. Essa segurança do amor materno é que será a base para a constituição psíquica da criança fazendo com ela seja capaz de se desenvolver bem em todos os aspectos. Para os filhos, essa é a mãe maravilha. E cá entre nós, nesse aspecto, a única opinião que importa mesmo é a deles!

Por Luiza Pinheiro: sócia da Clínica Base, graduada em Pedagogia pela UFMG, Especialista em Psicanálise com Crianças e Adolescentes pela PUC-MG, Especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional pela UEMG, e Mestranda em Psicologia pela UFMG. Referência da Clínica Base em projetos relacionados à infância.
(www.clinicabase.com)

Publicado originalmente no site da revista Wave: http://www.revistawave.com.br/noticias-artigos/artigos/mae-maravilha/

Sobre o Autor:

Do site:



No Comments

Leave a Reply