Gente que auxilia

Luto materno é lembrado dia 15 de outubro com onda de luz

Em 2014 e 2015, quase 400 mil mulheres sofreram perdas gestacionais no Brasil, e outras 50 mil não viram seus bebês completarem nem um mês de vida. Muitas famílias sofrem com a perda de um filho e vivem essa dor em silêncio. Esse foi um dos motivos que levou Ronald Reagan, então presidente dos Estados Unidos, a proclamar o mês de outubro como o mês da conscientização da perda gestacional e neonatal, data que com o passar dos anos acabou se espalhando pelo mundo.

Para dar voz a todos os pais e mães que sofreram e sofrem com a morte de seus bebês, surgiu o Dia Internacional da Conscientização da Perda Gestacional ou do Recém-Nascido, celebrado no dia 15 de outubro. Nesse dia, pais, familiares, amigos e simpatizantes à causa acendem velas numa enorme corrente de amor que relembra o quanto esses bebês foram e ainda são amados e importantes. A corrente de luz é conhecida como “Wave of Light”, em português, “Onda de Luz”.

No Brasil, o coletivo “Amor que Guia” reúne movimentos, grupos, ONGs, youtubers, blogueiras, psicólogos, doulas e médicos que têm em comum a busca pela quebra do tabu do luto e abandono emocional após a morte de um filho. Entre as ações está a promoção da campanha “Wave of Light”, que tem como objetivo conscientizar a sociedade sobre a importância do acolhimento de quem vive a dor da perda.

Em Mato Grosso do Sul, a ação está sendo divulgada pela jornalista Marcela Albres, que criou a página “Até sempre meu filho” para falar sobre a perda de seu filho Felipe, que morreu com um mês de vida por causa de graves más-formações no coração. No Facebook, a página criada há menos de quatro meses já tem quase 4 mil seguidores.

Como forma de elaborar o luto e ajudar outras mães que passaram por isso, a jornalista escreveu o livro “Até sempre, meu filho!”, que será lançado no dia 7 de novembro, no Recanto das Ervas, em Campo Grande, dia que Felipe completaria um ano. “Vamos celebrar a vida do nosso menino com o lançamento do livro, uma homenagem à nossa história e uma forma de manter o Felipe sempre conosco. Cada vez que alguém ler o livro, Felipe ganhará vida outra vez. Perpetuar a memória dele é o maior presente que eu poderia ganhar”, afirmou a mãe nas redes sociais.

Amor que guia

Essas ONGs e movimentos preenchem lacunas deixadas por serviços públicos não ofertados atualmente e desenvolvem campanhas para romper o silêncio e acolher as famílias que buscam apoio.

Saiba mais sobre o Wave of Light 2018 acessando as páginas nas redes sociais dos grupos envolvidos nessa ação. São eles: @GrupoSobreViver, @ONGAmadaHelena, @Renascer_Curitiba, @amaparnaiba, @voealtomeuanjinho, @DoLutoaLuta, @IntitutoAmorNosso, @Grupo_Colcha, @falecomapsicologa, @projetoacolhedor, @nucleocuidarsp, @BlogCarolOliva, @MaesdeAnjosMT, @GrupodeApoioLadoaLado, @grupotransformacaoperdagestacionaleneonatal, @api-apoio a perdas(ir) reparáveis, @rodatravessia, @gruporeviverthe, @atesempremeufilho, @cebromoficial, @gruporenascergoiania e @falamarcela.

Sobre o Autor:

Do site:



No Comments

Leave a Reply