Gente que esclarece, Maternagem

Leite materno e método alternativo: uso do copinho ou mamadeira?

Por Lorena Oliveira do Blog da Lô! 

O uso da mamadeira não é considerado um método recomendado para oferecer ao bebê o leite materno. Isso acontece, porque a sua utilização pode gerar distorções no funcionamento da musculatura do rosto do neném e atentar possíveis alterações ortodônticas.

Quando a mãe está impossibilitada de amamentar, a melhor saída para fornecimento de alimento ao bebê é a utilização do copo. O preconizado é sempre o aleitamento exclusivo no peito por seis meses, continuado até dois anos ou mais, com o uso do copo sempre que necessário, ou seja, quando a mãe estiver trabalhando ou quando se ausentar por tempo superior ao da amamentação da criança. Aos seis meses a criança já pode utilizar o copo para ingerir água e sucos, não necessitando, em nenhuma situação, do uso da mamadeira.

Além das benfeitorias já conhecidas e divulgadas diariamente, tornam-se claras as vantagens da amamentação para o crescimento das estruturas e desenvolvimento das funções do sistema estomatognático e que beneficiam o crescimento facial, a inspiração de espaços adequados para a erupção dentária, a respiração nasal, a deglutição adequada e a elaboração para as funções de mastigação e fala.

As funções musculares

O bebê, na mamadeira, pode desenvolver basicamente dois tipos de sucção: a sucção que favorece o aumento da atividade dos bucinadores, gerando uma pressão sobre os maxilares e resultando em alterações ortodônticas e palatinas (céu da boca), com possíveis consequências respiratórias. E por outro lado, o outro tipo de sucção favorece a atividade aumentada da língua. Por isso algumas crianças que sugam mamadeira apresentam alterações ortodônticas e outras não.

 

Mamadeira oferece mais riscos que o copinho

A cultura popular dita que a alimentação por copo é mais complexa, favorece mais chances de engasgos e as mães referem medo de oferecer leite por copo. Na realidade, o uso da mamadeira é mais arriscado ao bebê por alguns motivos: aumento do furo do bico para que o leite apresente uma saída mais rápida, bem como o fato de muitos bebês mamarem deitados e com as mamadeiras escoradas. O aumento do furo da mamadeira impede que o bebê controle o fluxo de leite e possa parar para descansar ou respirar. As mamadas deitadas são muito perigosas, pois os engasgos e aspirações são mais fáceis de ocorrer, bem como a entrada de leite pela tuba auditiva das crianças (que é mais horizontalizada que no adulto), promovendo otites de repetição.

A forma mais segura de alimentar o bebê é através da amamentação e o uso do copo como método alternativo e temporário, pois para oferecer leite por copo, o adulto deve estar presente e prestar atenção na alimentação do lactente. A adoção da técnica correta e a paciência são essenciais para o sucesso desse tipo de alimentação.

Eu sei que é difícil acreditar nisso, principalmente porque as mamadeiras estão muito bem consolidadas no nosso cotidiano. A maior parte de nós insere o objeto na lista de enxoval sem nem pensar no assunto, afinal, “alimentamos” até as bonecas com mamadeiras. Eu me lembro de adorar uma que enchia e esvaziava como mágica, era um dos meus brinquedos preferidos. Por outro lado, não tenho memória de colocar minhas “filhas” no peito. Apenas 10% dos nossos bebês são aleitados exclusivamente até os seis meses; a amamentação exclusiva no Brasil dura uma média de 54 dias, o que é uma grande tristeza – e tem reflexos diretos na quantidade de crianças alérgicas, com refluxo patológico, grandes consumidoras de antibióticos e aparelhos ortodônticos.

 Como dar o leite materno no copinho?

É muito simples e na verdade pensamos logo na mamadeira por causa da facilidade de acesso hoje, mas a verdade é que mesmo com uma pequena xícara de café que você tenha em casa podemos dar leite à criança! (Claro que com a devida esterilização).

Temos medo da criança engasgar, de não dar certo, insegurança, falta de costume, mas o fato é que é muito seguro, desde que efetivado com a técnica correta.

Etapas:

– Utilizar copinho (ou xícara) resistente, que não tenha nenhuma saliência na borda e que possa ser lavado e fervido, por exemplo, uma xícara de cafezinho ou um copo americano ou similar.

– Lavar o copinho (ou xícara) com água e sabão, colocar em uma panela com água encobrindo-o e fervê-lo por 15 minutos (contar após o início da fervura).

– Colocar o leite somente até a metade do copinho, ou mais ou menos 1/3, para que seja mais fácil posicionar o copo sem derramar o leite.

– Sentar-se com os pés apoiados, num lugar confortável, de forma acomodar o bebê em seu colo, na posição sentada ou semissentada.

– Proteger a cabeça do bebê com a sua mãe espalmada na base do crânio e nuca dele (seu polegar e indicador formando um “C”). A cabeça do bebê deve formar um ângulo de 45 graus com pescoço.

– Encostar a borda do copo no lábio inferior do bebê e movimentar o copinho para que o leite toque o lábio. Quando o bebê abrir a boca, colocar a borda do copinho (ou xícara) abaixo da língua dele. Ele pode buscar o leite com a língua dentro do copinho, como um “gatinho”. O bebê faz movimentos de lambida do leite, seguidos de deglutição.

– Virar o leite somente quando o bebê movimentar a língua, o lábio ou a bochecha, mostrando que está pronto para ser alimentado.

– Não despeje o leite na boca do bebê! Coloque um pouco na boca o suficiente para o bebê sugar o leite.

– Coloque o bebê para arrotar no final.

Lorena Oliveira é Enfermeira graduada pela Universidade Federal de Uberlândia, blogueira, apaixonada por obstetrícia e aleitamento materno mas, o melhor de tudo: louca pra viver a maternidade! Escreve no blogdalo.com.br

Sobre o Autor:

Do site:



No Comments

Leave a Reply