Gente que esclarece, Gestação, Parto e Amamentação

Grávida e hipertensa, o que fazer?

Cuidados com a saúde da mãe afetam diretamente a saúde do bebê 

Preocupadas com a saúde do bebê, mulheres com tendência a ter hipertensão questionam se podem engravidar. Podem sim, mas precisam seguir rigorosamente o controle da pressão arterial com o médico durante toda a gestação. Além disso, devem tomar precauções para reduzir ao máximo o consumo de sódio, manter o peso durante a gravidez, repousar bastante e realizar caminhadas regulares conforme a orientação médica.

Para começar, é considerado hipertensão quando, durante as primeiras 20 semanas de gravidez, o nível da pressão arterial é igual ou maior que 140/90 milímetros de mercúrio (mmHg) ou, como é popularmente conhecida: 14 por 9. Para um adulto saudável, a pressão ideal está entre 100/60 mmHg e 129/84 mmHg.

Deve-se evitar:

 Temperar a comida com sal e temperos industrializados;

 Comer carnes processadas como salsichas, hambúrgueres, empanados e

linguiças;

 Comer produtos industrializados como salgadinhos, panificados de gorduras ou

açúcar, sopas prontas, refeições congeladas e prontos para aquecimento;

 Comer produtos que apresentam no rótulo taxas elevadas de sódio.

Como substituição, as gestantes devem aproveitar misturas com ervas desidratadas e frescas, limão, alho e cebola para temperar a comida. Uma nutrição equilibrada e com acompanhamento profissional pode enriquecer o cardápio sem comprometer a balança e a pressão.

Na alimentação diária, a grávida deve incluir, pelo menos, cinco porções de frutas e verduras, priorizando cereais integrais e frutas cítricas. A futura mãe deve ingerir grandes porções de ferro, cálcio e nutrientes essenciais para o desenvolvimento do feto e proporcionar o funcionamento de órgãos vitais como cérebro e coração. O consumo equilibrado de vitaminas durante a gestação é fundamental para a formação do bebê.

Essa preocupação com os alimentos ingeridos nos primeiros 1000 dias de vida do bebê, a contar do início da gravidez até os dois anos, vai refletir durante toda a vida adulta. O risco de que em uma gestação hipertensa o bebê nasça prematuro é grande e pode prejudicá-lo a longo prazo. Quando a mãe se alimenta, olfato e paladar do bebê são estimulados pelo líquido amniótico e, aquilo que ela come pode moldar os hábitos alimentares da criança no futuro.

Quando bebês nascem com peso baixo, eles tendem a desenvolver problemas cardiovasculares ao longo da vida, assim como alto colesterol, diabetes tipo 2, problemas renais e osteoporose, pois a pouca energia que o organismo recebeu é priorizada para a formação do cérebro, deixando os demais órgãos vitais em segundo plano. Na mesma situação, esses bebês tendem a desenvolver excesso de peso na vida adulta, pois o organismo torna-se um poupador de energia devido à restrição nutricional na primeira fase da vida.

Por esses motivos, a alimentação equilibrada vai delimitar a qualidade de vida da criança, já que, entre os demais fatores mencionados, também é responsável pelo fortalecimento do sistema imunológico da criança, além de reduzir a chance de desenvolver qualquer tipo de alergia.

Durante a amamentação, é permitido tomar medicação para controle da hipertensão, desde que seja autorizado pelo médico e há dezenas de medicamentos que são compatíveis com a amamentação que não comprometem a qualidade do leite materno nem a saúde do bebê.

Você é a pessoa mais importante na vida do bebê desde o primeiro dia de gestação. Com você ele vai aprender as maiores lições de vida e a saúde dele na velhice começa com o seu cuidado hoje.

Sobre o Autor:

Do site:



No Comments

Leave a Reply