Gente que esclarece, Maternagem

Amamentação: o que é importante saber?

Tem uma nova colunista estreando aqui no blog, é a Lorena Oliveira, enfermeira, mãe e blogueira que vai trazer pra gente artigos relacionados com a amamentação! 

O seu corpo é responsável pela preparação dos seios para o aleitamento materno, assim o fundamental mesmo é organizar o seu interior. Para isso, o melhor a fazer é se apoiar em informações confiáveis em relação ao assunto antes de o bebê nascer.

Esteja disposta para as dificuldades, contudo não necessita ficar apavorada. Aproveite todo o auxílio existente no momento em que estiver na maternidade, porque lá há pessoas especializadas e que atentam às intercorrências todos os dias. Faça questionamentos e sane todas as dúvidas que incidirem em sua mente.

Não dá para prever ao decorrer da gravidez se você vai ter muito leite ou não. O tamanho do seio e o fato de o peito já ter vazado ou não, não têm nada a ver com a produção de leite depois que o bebê nasce.

Existe um horário certo para dar o peito?

Primeiramente, vale ressaltar que não existe uma regra geral. Por esse motivo, evite focar em horários e números fixos. É necessário lembrar que o bebê não é programado para chorar ou sentir fome em um determinado horário, e por isso não há regras de intervalo ou tempo a serem seguidas.

O tempo da mamada deve perdurar o período aceitável para o pequeno ficar satisfeito. Isso pode variar de bebê para bebê e até mesmo em relação a cada mamada. Uma mamada pode durar mais ou menos que a outra.

No geral, cada mamada dura aproximadamente cerca de 20 a 40 minutos. Isso porque muitos acontecimentos podem interferir nessa ocasião, como, por exemplo, a facilidade com que o neném consegue sugar o peito, o tipo de bico da mãe, a produção maior ou menor de leite, se há cólica no instante em que se inicia a mamada, enfim, muitos fatores podem influir nesse ciclo.

Você mamãe pode analisar o intervalo que o bebê está realizando durante uma mamada e outra, percebendo que isso também pode oscilar frequentemente. Referente a maioria dos bebês (o que também não é uma regra) os bebês mamam a cada três ou quatro horas ao decorrer do dia, e, à noite, podem estender para cinco ou seis horas. Porém, como já falado anteriormente, isso depende de cada um.

Devo acordar o bebê para mamar?

Os tempos e os intervalos de mamada irá depender individualmente de cada bebê, não existem horários a serem seguidos, este fator depende exclusivamente do neném. Não é necessário seguir guias bruscos como “Acorde o seu filho a cada três horas para mamar” pois, quem irá decidir o momento correto de realizar o processo de aleitamento materno se o bebê estiver dormindo muito, será o pediatra do seu filho, somente ele poderá definir o ritmo e os horários para acontecer o ato da amamentação.

As orientações são fornecidas individualmente, ou seja, exclusivamente para cada duplinha mãe-filho. Pois, como já mencionado, nenhum bebê vive rotineiramente da mesma forma que outro. Por esse motivo, não se deve fazer comparações e afirmar que por esse motivo existem anormalidades interligadas à amamentação do seu bebê. Toda criança desenvolve de acordo com o seu biótipo, e assim é o aleitamento materno. O seu pequeno desfrutará de intervalos e horários distintos do seu sobrinho, por exemplo.

Sucesso na amamentação

Existem dois eventos importantes que precisam ser avaliados para o sucesso tranquilo da amamentação, são eles:

O seu bebê deve estar se desenvolvendo de maneira que o seu crescimento e ganho de peso estejam adequados para a idade. Isso é prontamente notado nos exames pediátricos de rotina.

Você, mamãe, deve ter imprescindivelmente um momento de descanso. Não apenas fisicamente, mas, principalmente, mentalmente. Essa é uma questão de extrema importância, caso esteja vivenciando uma rotina desgastante continuamente, incluindo falta de sono, ansiedade ou aflição com a probabilidade de não conseguir amamentar, será muito provável que, ocorrerá diminuição da produção de leite e o período de aleitamento materno seja inferior ao esperado.

Busque sempre por informações coerentes com o pediatra do seu bebê, caso não esteja aconchegada para exercer o aleitamento materno. Tenha sempre em mente que para existir afinidade, ambas as partes precisam estar felizes. Não se desespere se a primeira tentativa não for satisfatória, o tempo se encarregará de levar tranquilidade, suavidade e prazer para o momento que será apenas você e o seu pequeno.

Lorena Oliveira é Enfermeira graduada pela Universidade Federal de Uberlândia, blogueira, apaixonada por obstetrícia e aleitamento materno mas, o melhor de tudo: louca pra viver a maternidade! Escreve no blogdalo.com.br

 

Sobre o Autor:

Do site:



No Comments

Leave a Reply