Gente que esclarece, Gestação, Parto e Amamentação

A ajuda de uma doula pós-parto

Existem atitudes que tomamos ou coisas que acontecem que aparentemente são para nos ajudar, mas na verdade estão é nos causando danos.

Sou doula voluntária em uma maternidade de São Paulo e em uma noite, visitando as mães que já  haviam parido e estavam na sala de recuperação, amamentando pela primeira vez seus bebês, encontrei um pequeno frasco, com um líquido transparente em uma maca, junto de uma mãe. Curiosa, perguntei  se ela sabia o motivo pelo qual aquele frasco estava ali. Sorridente e orgulhosa a mãe respondeu que era um “negócio” que a enfermeira havia passado no mamilo dela para o bebê conseguir mamar e que sem aquilo, o bebê jamais mamaria!

Gentilmente, expliquei que aquilo ali era glicose, mais especificamente, açúcar! Tentei argumentar, dizendo que o bebê não precisava daquilo para mamar e que bastava que ela tivesse ajuda apropriada para ensinar a pega correta e muita, mas muita paciência para que o processo de amamentação fluísse bem. Disse ainda que o bebê estava preparado para receber única e exclusivamente o leite materno. Qualquer outro alimento, diferente deste, poderia acarretar algum esforço extra no metabolismo daquela criança e/ou algum dano no intestino, ainda imaturo.

Consegui, com muita conversa, convencê-la a não permitir mais que tal procedimento fosse realizado, mas o estrago já estava feito…Temos o hábito de propagar êxitos que alcançamos e, portanto, muito provavelmente esta mãe contaria para outras, que tivessem dificuldade inicial  com a amamentação, como o “líquido mágico” foi eficaz para ela!

A maioria das mulheres acaba aceitando tudo que lhes é imposto em uma maternidade, que apesar de ser o local onde muitos bebês vem ao mundo, nem sempre contam com profissionais que apoiam e incentivam a amamentação. Quando voltam para suas residências (com exceção daquelas que tiveram parto em casa e nem saíram do seu lar), após o nascimento de seus filhos, mesmo precisando, não buscam ajuda especializada, como uma doula pós-parto ou consultora de amamentação. Afinal, elas são mães e mães possuem um instinto que funciona como bússola guiando-a na criação dos filhos! Só que não!!! Apoio é fundamental em todas as etapas de nossas vidas, principalmente quando nos tornamos mães.

Podemos observar que a  ânsia para que tudo dê certo, faz com que tenhamos pressa em resolver os problemas.

Desde a gestação, essa pressa se faz presente. Quantas mulheres agendam cesáreas desnecessárias por volta da 38ª semana, pois não conseguem esperar até 40,41 ou até 42 semanas, quando geralmente os bebês estão prontos para nascer? E  as que optam por parto normal, muitas vezes acabam na mesa de cirurgia, pois algumas equipes que acompanham partos não esperam as horas necessárias para que o bebê venha a nascer sem intervenções. Depois, com o bebê nos braços, a mulher é cobrada por uma prática para lidar com o filho que muitas vezes, só aparece com o tempo! Definitivamente, é incrível como nos momentos em que as mulheres mais precisam de apoio e calma, aparecem pessoas sem paciência para lidar com as dificuldades da maternidade para “ajudá-las”. E assim, práticas como a glicose no mamilo vão se propagando…

Buscar e receber ajuda especializada não é atestado de fracasso. É a garantia de sucesso! Não hesite em gritar por socorro!!!

Marcia Benalia é comunicóloga, cursando pós-graduação em psicologia e maternidade, doula, consultora de amamentação e instrutora de shantala certificada pelo GAMA(Grupo de Apoio a Maternidade Ativa), consultora em aromaterapia para gestantes certificada pela Aromaflora, sócia da Maternity Coach(www.maternitycoach.com.br), mãe de dois filhos e estudiosa dos benefícios que a natureza nos promove.

 

 

Sobre o Autor:

Do site:



No Comments

Leave a Reply