Conversa Materna, Gente que compartilha

10 Passos para exercer uma maternidade mais leve

  1. Diga “não” à expectativa alheia

Já imaginou o quão libertador seria se parássemos de julgar umas às outras? Se todos os dedos apontados para você neste exato momento decidissem tomar conta da própria vida? Já que esse dia maravilhoso não chega, e acredito que jamais chegará, que tal deixarmos de levar em conta o que os outros pensam? Todos temos opiniões e queremos expô-las, fazê-las relevantes, mas criar uma guerra só para satisfazer sua vontade de atenção é ridículo. Bora todo mundo cuidar da própria vida?

  1. Entenda que seu filho tem personalidade própria

Temos a mania de acharmos que nossos filhos são extensões de quem somos e não são. Eles tem personalidade, à medida que forem crescendo, terão seus próprios sonhos e desejos, que podem ser bastante diferentes do que você mesma sonhou para eles. A partir do momento que identificamos e aceitamos que além deles terem personalidade própria, são diferentes entre si, fica tudo tão mais fácil. O dia a dia mais simples e leve. Passamos a conversar e a levar a vida de forma mais certeira, sabe? Não perdendo tempo com métodos pré-estabelecidos como se nossos filhos fossem feitos em forma de pão. Eles não seguem um padrão, porque você seguiria?

  1. Você não é obrigada a nada!

Existem infinitos manuais de maternidade perfeita, vários estudos e teorias,e gosto de dizer, se esses manuais fossem tão bons assim, não haveria tantos, só um: o que deu certo! Sendo assim, você não é obrigada a nada! Nem a sorrir o dia todo fingindo viver uma vida perfeita, nem entrar na onda de reclamar de tudo, mesmo o que nem te incomoda tanto assim, só para satisfazer o que esperam de você!

  1. O tempo passa muito rápido

Aproveite! Eu sei, parece clichê, mas filhos crescem muito rápido. As vezes aproveitar a chuva de verão para brincar é muito melhor do que se preocupar com a roupa suja. Aproveite o grude, oferte colo enquanto eles ainda cabem nos seus braços. Durma junto, enquanto eles fazem questão. Brinque enquanto eles querem brincar. Logo crescerão e tudo isso irá sumir. Só restarão as lembranças e aquele suspiro gostoso quando lembramos de algo realmente bom e marcante. Eu espero suspirar muito ainda nessa vida…

  1. Não aponte o dedo

Não julgue a coleguinha! Nunca! Exerça a empatia. Ninguém conhece a realidade da outra mãe, porque apontar o dedo, fazê-la culpada mais ainda do que ela já se sente? Ensinamos aos nossos filhos a não fazer com o amiguinho o que nos gostamos que façam conosco e esquecemos de exercer essa verdade no nosso próprio dia a dia.

  1. Permita-se

Cuide-se! Não prestou atenção às dicas da comissária de voo? Ela sempre diz para colocar a máscara de oxigênio primeiro em você depois nos outros? Pois é. Para que cuidemos bem de nossos filhos, é necessário estarmos bem. Separe um tempo para si. Para ir ao médico, dentista, salão, compre roupas, pratique exercícios, descanse, leia um livro, saia para dançar, namore, cante alto sua música preferida e o melhor, sem culpa!

  1.  Ria de si mesma

Aprender com os erros é sempre muito bom e necessário para seguir em frente, mas rir deles, nos evita bons meses de terapia! Não se cobre tanto! Todas erramos. Ensinar aos nossos filhos através da experiência própria que errar é humano e nem tudo é preciso ser levado tão a sério faz um bem enorme para todos e deixa tudo tão mais leve!

  1. Siga uma rotina

Crianças gostam de rotina, principalmente as menores que gostam de saber o que vem a seguir. Rotina de sono, nas refeições, de horário. Isso ajuda muito a organizar quando, assim como eu, você tem mais que um filho. Sem contar que em relação aos maiores, sabendo a rotina não tem discussão. Finais de semana são para quebrar a rotina, mas durante a semana, isso mantém a ordem e dá um alívio para no final do dia lermos um livro ou assistir ao programa preferido na TV.  

  1. Crie uma rede de apoio

Além é claro de dividir as tarefas com o marido, crie uma rede para apoiá-la caso precise. Pessoas que você possa recorrer caso tenha alguma dúvida, caso aconteça algum imprevisto , precise desabafar ou queira uma noite de folga.

  1. Aproveite seus filhos para reviver o que foi bom na sua infância

Ensine o que gostava de fazer na “sua época”, brinque junto, divirta-se! Tão bom ensinar brincadeiras esquecidas que para eles serão novidades. Tão bom vê-los desgrudar do vídeo-game e ir brincar lá fora. Tão bom ter assuntos em comum e não apenas sermos pais e filhos, mas cúmplices e amigos de brincadeira.

Sobre o Autor:

Sheila Mendonça

Sheila Mendonça é Relações Públicas e empreendedora. Inquieta, curiosa e amante por literatura, sempre viu nas crônicas de Mario Prata uma inspiração para transformar o cotidiano em textos bonitos e interessantes, que trouxessem leveza à vida com um toque de humor. Pensando nisso, criou o “Uai, mãe!?“, para dividir a rotina com os três filhos, contando suas dúvidas e receios, compartilhando com outras mamães sua experiência de forma leve e descontraída. Do site: Blog Uai, Mãe?



No Comments

Leave a Reply